O número zero do Jornal AVV

É o zero mais difícil e mais importante das nossas vidas

Junho. Domingo, dia 3, 2018. Temos de lançar. De manhã ou ao início da tarde? Qual será a melhor hora? Não será melhor esperar e lançar na segunda-feira?
O que não vai faltar é gente a tentar aceitar o facto de ser o primeiro dia da semana de trabalho, com um olho na tarefa que permite pagar as contas e outro no smartphone (ou tablet) à espera da notificação que poderá significar que a pessoa com quem passou o sábado à noite tenha finalmente colocado online a selfie tirada às 02h58 da madrugada, quando as garrafas que estavam no fresco já tinham acabado.
Mas não é. Quase nunca é. A notificação diz que alguém identificou 49 amigos numa foto com uma criança numa pose de espanto ‘alegadamente’ cómica com uma frase em Comic Sans a dizer “Poh, já é segunda-feira!!???” O que nos rimos com isto…

Não, não podíamos sair na mesma leva que as frases de segunda-feira no Facebook.
Este é o zero (0) mais importante e mais difícil que poderíamos lançar ao mundo e nesta primeira saída à rua, queremos que o seu desempenho seja autêntico, orgânico e se possível, acarinhado.
Por detrás desta edição zero estão horas (meses) de trabalho, que o Artur Azevedo, editor e web designer do AVV, é perfeccionista até ao mínimo detalhe. Faça o teste. É que nem no calendário de eventos deixou que o mecanismo nos induzisse em erro! Se encontrarem alguma “ponta solta” ou alguma letra a mais, a culpa é minha, que não sou tão meticuloso na revisão de texto quanto o Artur é na concepção gráfica de tudo isto.

Também não quisemos que este número zero fosse uma edição de teste, nem que tudo isto surgisse à laia de auscultação do mercado e “depois é que vai ser”. Era a estratégia errada. Queremos desde já mostrar qual vai ser a nossa linha orientadora, firmada pelo estatuto editorial e pela abordagem isenta e diferenciadora aos temas que marcam a actualidade. Ao percorrer os temas da barra de raradores, da actualidade à biodiversidade, passando pelo espaço dedicado aos colunistas, terá percepção daquilo que é o ADN do AVV.

Gostávamos de contar com a ajuda de todos na construção de uma plataforma noticiosa abrangente, por isso temos um endereço de correio electrónico disponível para receber todo o tipo de sugestões daquilo que entenda pertinente noticiar. Por outro lado, não queremos fazer parte da fileira replicadora de comunicados que actualmente inundam qualquer pesquisa do Google ou outro qualquer motor de busca.

O imediatismo das redes sociais não tem de invadir o espaço nem o espírito de missão informativa dos jornais. Há assuntos que merecem averiguação e trabalho por parte dos jornalistas que vestem a camisola por qualquer um dos diários nacionais, ou então seremos todos apenas subscritores dos serviços da Agência Lusa, que faz um trabalho meritório a nível nacional, mas deve ser base de trabalho para os órgãos de comunicação social e não um ‘colaborador’ a custo reduzido.

Queremos contar consigo, e pode contar connosco nesta missão nobre que é levar a informação e o conhecimento a todos aqueles que pedem um século XXI mais exigente na gestão da informação que nos chega através da internet.
Recorde-se que a internet – a World Wide Web – é a estrada do futuro, mas neste mundo digital há inúmeros caminhos que não vale a pena trilhar. Estaremos todos preparados para lidar com toda esta avalanche informativa? Quanto a nós, queremos merecer a sua confiança, por isso é que quisemos contar-lhe, já no número zero, ao que vimos. E vimos por bem.

Nesta edição:

Hoje é o último dia do Festivinhão 2018, mas algumas das novidades foram lançadas na quinta-feira passada, por altura da cerimónia de entrega dos prémios aos vinhos vencedores do concurso Festivinhão’18. A Adega Cooperativa de Ponte da Barca passará a reconhecer também o município de Arcos de Valdevez na sua designação, ou seja: Adega Cooperativa de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez. Um simbólico mas merecido reconhecimento aos viticultores arcuenses, que representam grande parte do volume de produção daquela adega.

A água é um bem essencial, mas os padrões de exigência, desde a captação ao tratamento e distribuição, são cada vez maiores.
A criação de uma empresa multimunicipal para a gestão do serviço, proposta pela CIM Alto Minho (Comunidade Intermunicipal do Minho-Lima), pretende garantir a qualidade do serviço, mas com ele perspectiva-se também um aumento do valor da factura. O presidente da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, João Manuel Esteves, diz-nos que, com ou sem adesão a esta parceria que engloba os municípios do distrito, as tarifas terão de ser actualizadas, por imposição da entidade reguladora. O assunto ainda será discutido em Assembleia Municipal, pode ficar já com uma ideia do que está em discussão.

O Grupo Luna Hotels & Resorts quer comprar o Solar de Requeijo com o objectivo de instalar naquele imóvel um “alojamento de charme”. O negócio, segundo o entendimento do presidente da Câmara de Arcos de Valdevez, é a solução ideal para aquele edifício histórico, que já tinha projecto idêntico quando ainda na posse da Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE). O negócio não merece críticas das restantes forças políticas do concelho, mas são unânimes no entendimento de que a autarquia, no gozo do direito de preferência sempre que o proprietário se queira desfazer do imóvel, deve eliminar a cláusula que a obriga a pagar quaisquer melhorias. Saiba ao que obriga a “cláusula leonina” de que a oposição tanto fala.

Na Comissão Política Concelhia do Partido Socialista de Arcos de Valdevez o clima é de tensão entre militantes. João Braga Simões, presidente da concelhia, diz que a votação foi unânime na retirada de confiança política ao militante Germano Vieira por “reiterado comportamento lesivo do bom nome do PS de Arcos de Valdevez”.
O líder da concelhia diz ainda que “as coisas escalaram de tal maneira que ele [Germano Vieira] partiu para o insulto”, entre outras provocações e que nem o trabalho meritório do histórico militante do PS local “dá legitimidade para se fazer sempre o que se quer”.

O CRAV venceu a Final do Campeonato Nacional 2 (CN2),que disputou frente ao Clube de Rugby São Miguel, na Bairrada, e a Andreia Fernandes foi falar com os atletas ainda no rescaldo da festa.
A vida de um jogador de uma modalidade que não tem um orçamento de milhões é difícil, mas os aguerridos atletas do rugby arcuense já pensam em serem campeões outra vez “e subir à primeira liga de Portugal”.
Enquanto esperamos, recordemos as imagens desta época.

Na rubrica Biodiversidade, Bernardete Amorim faz a radiografia à fauna e flora do Rio Vez. As imagens são um mimo e as cores das espécies que povoam as margens do nosso rio são um must see a que não ficará indiferente. Veja a galeria.

No separador de opinião também vai ter muito que ler, de gente muito válida nos vários campos de acção: Álvaro Amorim, Emília Cerqueira, Filipe Faro da Costa, João Braga Simões, José Domingos Costa, Marta Gonçalves, Teresa Lobato e Victor Domingos são nomes que não passarão indiferentes aos interessados pela vida política, sociológica ou das letras do concelho. Todos eles deixaram já as suas impressões nesta edição.

No separador Magazine, o destaque deste lançamento vai para Vasco Croft, o filósofo dos “vinhos biodinâmicos” Aphros; para o talento de Ricardo Rocha, professor de música em Arcos de Valdevez, com um passado ligado às bandas BD e Sinal; e ainda a pintura (Des)Cubista de Mutes, o artista que se recusa a promover a confusão entre a pintura artística e os quadros de decoração.
Criadores de diferentes áreas que têm entre si a semelhança de criar algo mais do que um produto consumível.

A actividade cultural e social em Arcos de Valdevez é mais agitada do que poderá pensar. Se quiser continuar a ter a desculpa de que não sabia porque não lhe entregaram o folheto, nem sequer passe pelo separador do Calendário, porque depois fica a saber tudo e vai ficar embaraçado quando lhe perguntarem porque é que não apareceu.
Por outro lado, se procura motivos para sair à rua, veja o que está em agenda para todo o concelho, todos os dias.

Estes são apenas alguns apontamentos que queríamos deixar em destaque nesta edição, mas há aqui muitos outros assuntos que certamente merecerão a sua atenção.

Boas leituras, e bom Domingo!
Seja bem-vindo!

Recomendado:

0 comentários