Correr por uma paixão. Paula Costa, a arcuense que acumula vitórias

Paula Costa começou a praticar atletismo aos 13 anos quando ainda eram uma realidade em Arcos de Valdevez as corridas inter-freguesias e quando o clube de atletismo ainda pertencia ao Atlético de Valdevez.

Depois de um longo período sem correr, Paula Costa voltou há três anos a calçar as sapatilhas da modalidade no Centro de Atletismo de Arcos de Valdevez e tem provado que os anos de afastamento das corridas não lhe tiraram nem a vontade, nem a capacidade de continuar a conquistar títulos.

O AVV foi conhecer um pouco mais do percurso de Paula Costa, fisioterapeuta de profissão e que faz um grande esforço por conseguir conciliar a atividade profissional aos treinos necessários para estar em boa forma para as provas. “Além de trabalhar numa clínica de fisioterapia ainda dou aulas de hidroterapia nas piscinas em Ponte da Barca. No inverno é muito difícil treinar, tem que ser mesmo com muita gestão, aproveitando os treinos noturnos, já nesta época é muito mais fácil e consigo fazer mais treinos. Estou numa boa fase porque treino mais e acabo por ter melhores resultados”, conta. A atleta do Centro de Atletismo aproveita esta época para fazer dois a três treinos semanais até porque diz que “a capacidade está lá, o problema é depois das provas, as dores musculares”, que surgem com mais frequência se o número de treinos não for o suficiente para se preparar para as provas. “Tento fazer sempre um treino diversificado. Se faço um treino mais longo vou para um terreno mais plano, e por exemplo se tenho uma prova de monte com subidas e descidas, então tento fazer um treino de escadas mais curtos que é para conseguir preparar-me”.

Os bons resultados têm surgido nas últimas participações de Paula Costa em várias provas e mesmo correndo na categoria de veteranos alcança melhores tempos que algumas seniores. “As últimas provas em que participei foi o trail da Serra Amarela que fiquei em primeiro lugar e a milha de Paredes de Coura que fiquei em segundo lugar. Seniores e veteranos correm em separado e a primeira classificada dos veteranos e eu fizemos melhores tempos que as seniores”.

a iniciação aos trails é algo recente que começou há um ano e para esta atleta foi uma aventura. “Comecei no trail de Sta Luzia. Para as provas de estrada a nossa preparação é diferente, o ritmo é sempre igual, sempre constante e contínuo, nas provas de monte, de trail corremos e em subidas é a andar e é preciso outra forma de gestão e ainda de orientação. No monte temos que ter uma maior orientação, para além da capacidade física temos que nos saber orientar e esse também é um grande desafio”, afirma Paula Costa.

E para uma atleta, a alimentação também é fundamental. Além da hidratação que ajuda na libertação e na condução dos nutrientes no organismo para a boa performance desportiva, Paula tem ainda uma alimentação equilibrada, rica em fibras e respeita o período de descanso, não só nos treinos mas também nas horas de sono que precisa cumprir. Mas tudo isto se consegue alcançar com facilidade quando, além de ser a prática de uma modalidade desportiva, este é também um estilo de vida para esta atleta arcuense. “Um estilo que por um lado descomprime-me, aliviando-me do stress da vida quotidiana e, por outro lado, aquela adrenalina de querer mais e melhor porque sei que com trabalho e dedicação consigo chegar lá”.

E é esta paixão pelo atletismo que também transmite aos mais novos que começam a praticar esta modalidade desportiva até porque considera que correr está na moda pelo gosto pela natureza. “Às vezes não basta querer correr, temos que ser fortes ao ponto de dizer que vamos conseguir. O caminho vai-se fazendo, não se consegue tudo de uma vez e então é não desistirem mesmo, não perderem essa vontade de um dia vencer e isso é o importante”.

 

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Recomendado:

0 comentários