Milhares nas festas do concelho [com galeria de fotos]

Arcos de Valdevez voltou a ser o centro das atenções das festividades minhotas de 4 a 12 de Agosto.
As festas concelhias em honra de Nossa Senhora da Lapa proporcionaram momentos para reviver tradições, valorizar o património cultural e dar relevo às suas raízes.
Durante 9 dias, as ruas da vila arcuense, engalanadas a preceito, receberam grande afluência de público que quis comprovar ‘in loco’ o mediatismo das festas concelhias.

No desfilar de tradições, os usos e costumes desta região, foram figuras centrais a gastronomia, o folclore, as concertinas, os cantares ao desafio, as tasquinhas e outros momentos musicais variados.

Com a envolvência das Juntas de Freguesia e associações do concelho, o Cortejo Etnográfico assumiu também por si só um dos momentos altos das festas, trazendo até ao Campo do Trasladário a história e as tradições genuínas de cada local, com os figurantes vestidos a preceito.
Este cortejo mereceu o rasgado elogio do presidente da Câmara Municipal, João Manuel Esteves, que relevou o empenho e esforço de todos os envolvidos para mostrarem o que de mais autêntico existe no concelho.

A Festa das Rusgas e o Concurso Malha-Malha de Bombos voltaram a atrair multidões para as ruas e a animação foi uma constante, com os vários grupos a desfilar pelas várias artérias da vila, proporcionando uma confusão saudável e alegre.

Já no domingo à tarde, a Eucaristia em Honra de Nossa Senhora da Lapa e a Solene Procissão em Honra de Nossa Senhora da Lapa, assinalaram o principal momento solene das festividades.
Na noite do dia 12, a “Festa do Rio”, com os barcos alegóricos, foram o espectáculo principal do dia de enceramento das festas. O tema deste ano era “Portugal na Eurovisão” e brindou os espectadores com as canções que participaram naquele concurso internacional e fizeram história em Portugal.

Festas de Nossa Senhora da Lapa 2018. Foto © CMAV

Cláudia Pascoal, representante de Portugal na edição de 2018 na Eurovisão, foi a convidada da noite e acabou por cantar a canção que representou o país, “O Jardim”.
O desfile, organizado pelo município, contou mais uma vez com a mestria de José Mokuna na elaboração dos barcos alegóricos, que são já “um espectáculo dentro do espectáculo”. As margens do rio Vez ficaram por isso repletas por uma moldura humana, que assistiu ao desfile de criatividade.

As tasquinhas no Trasladário e o Festival ínsua do Vez Summer Sessions continuam a ser outras das apostas bem conseguidas, pela transversalidade na animação que proporcionam, cativando o público jovem… E outros, que gostem do aspecto alternativo das festas.

Percorra a galeria de fotos, no topo do texto, para ver alguns dos momentos que marcaram as festas.

 

Apoiado por:

 

0 comentários