“É Porreiro Este País”: Zezé Fernandes junta amigos para uma crítica (com humor) aos temas nacionais

“Não acredito na sorte nem no azar, só nas capacidades e nas competências das pessoas”

Texto: Margarida Leitão
Fotos: Margarida Leitão e Rodrigo Fernandes [concerto]

  • No dia 12 de outubro, Zezé Fernandes atuou na Casa das Artes de Arcos de Valdevez, para o lançamento do seu novo álbum “É porreiro este país”.
    Acompanhado pelos seus músicos Jorge Oliveira, Paulo Lagarto e Patrícia Silva, o artista com quase 30 anos de carreira apresentou o novo disco num espetáculo intimista, com um público “dos oito aos oitenta” onde, para além dos novos temas, tocou o “Vira de Caracas” em homenagem aos venezuelanos radicados em Portugal e a “Senhora da Peneda” para todos os arcuenses presentes.

    “Aqui na Casa das Artes na apresentação do CD foi a primeira vez que fiz um espetáculo só com originais, toquei 15 músicas minhas e 15 letras minhas, foi um espetáculo único, não se irá repetir”, confessou o artista que considera “sempre um prestígio tocar numa casa destas”.

    O novo álbum de Zezé Fernandes, que contou com os artistas convidados Augusto Canário, Carlos Rodrigues, Jorge Nande, Quim Barreiros e Zé Amaro, é composto por 13 músicas e letras originais cheias de simbolismo. O número 13 foi escolhido para fazer uma crítica ao português supersticioso, pois diz não acreditar “na sorte nem no azar, só nas capacidades e nas competências das pessoas”.

    Atuação na Casa das Artes, AVV, no dia 12 de Outubro || Foto: Rodrigo Fernandes

    Para a realização deste álbum, o artista de música tradicional portuguesa inspirou-se no seu país. “Peguei no que nós temos de muito bom e em temas que considero muito maus”, contou o artista ao Jornal AVV.
    Nas suas músicas abordou temas como a emigração, violência doméstica, corrupção, trabalho excessivo e as desigualdades que ainda existem em Portugal, fazendo críticas ao que considera errado em Portugal sem deixar de lado o bom humor e a brincadeira que o caracteriza.

    Em conversa com o Jornal AVV, o artista destacou a música “Maria e Mulher” que dedica a todas as mulheres e inclusive entregou à sua acordeonista, Patrícia Silva, por achar “que a melhor homenagem que poderia fazer era por uma mulher a cantar”.

    Atuação na Casa das Artes, AVV, no dia 12 de Outubro || Foto: Rodrigo Fernandes

    Na tournée “É porreiro este país”, que teve início no ano passado, o artista tem andado a fazer a promoção ao novo álbum, agora finalmente apresentado e à venda. “Estava tão confiante na qualidade das músicas e das letras que eu optei por fazer o contrário do que fazem os outros”, explicou Zezé Fernandes.

  • Recomendado: